Artigos

Aprenda mais com a ENSUS. Cadastre-se

29 de agosto de 2016
Capturar

ELEMENTOS FINITOS – PRIMEIROS PASSOS

A análise de Elementos Finitos já é uma necessidade no mundo moderno, trazendo benefícios no desenvolvimento de produtos, análise de falhas e outras situações em equipamentos nos mais diversos ramos, partindo de um automóvel até uma prótese de implante. Nesse primeiro vídeo, falamos sobre a importância de entender o que está por trás do software, como também a relação entre inserir dados e receber resultados bons ou ruins.
16 de agosto de 2016
Aula

AULA 07 – FADIGA

A sétima aula, é a continuação do método e-N onde são mostradas as principais diferenças das propriedades monotônicas com as cíclicas, como também o desfecho final do método. No último slide, é apresentado a equação do método e-N, que deve ser muito bem compreendida para que o cálculo de fadiga possa ser realizado. Os conceitos apresentados nessa aula não são de fácil entendimento, e, portanto, recomendamos que você veja o vídeo com calma, como também continuem as pesquisas sobre o assunto. É claro que estamos aqui para qualquer dúvida que tiverem.
8 de agosto de 2016
Aula

AULA 06 – FADIGA

A sexta aula, fala sobre o método e-N que considera a deformação total pelo número de ciclos do componente. Esse método acaba sendo mais preciso que o método S-N, principalmente por levar em consideração as deformações plásticas existentes, como também as características cíclicas do material. Esse método pode ser utilizado para fadiga de baixo ciclo, como por exemplo, em vasos de pressão que estão submetidos a poucos ciclos durante toda sua vida operacional.
1 de agosto de 2016
IMG_70821

Elementos Finitos – Singularidade de Tensão… o que Fazer?

Se você é um usuário da ferramenta de análise de elemento finitos, com certeza já deve ter se deparado com pontos de tensões elevadíssimos que não fazem o menor sentido para a análise que está sendo realizada. Esses pontos de singularidade de tensão, como são chamados, podem ser decorrentes de força localizadas ou aplicadas em arestas, canto de peças em contato ou restrições, entre outros fatores gerando muito problema na análise dos resultados.
24 de julho de 2016
Aula

AULA 05 – FADIGA

A quinta aula traz um exemplo prático de cálculo de fadiga de acordo com o método S-N. São mostrados os procedimentos de cálculo das tensões considerando os concentradores, a análise das propriedades de material, o entendimento do carregamento, e a consideração de todos os fatores de modificação para o cálculo do limite de resistência a fadiga (Se). Por fim, o cálculo da tensão equivalente de fadiga por Goodman é comparado com o Se, aprovando ou não a análise em questão. Esse método é muito útil para projetistas e engenheiros que de alguma forma devem projetar seu produto para resistir a falha por fadiga.
17 de julho de 2016
Capturar

AULA 04 – FADIGA

A quarta aula entra em mais detalhes no método S-N. Nessa aula é mostrado como as curvas S-N são obtidas, as propriedades dos materiais de acordo com os resultados dos corpos de prova, e introduzido o conceito de limite de resistência a fadiga. São abordados os fatores de modificação do limite de fadiga, segundo literatura de Shigley, como também os efeitos de concentração de tensão e efeito da tensão média. Por fim, é apresentado o método de Goodman para cálculo da tensão equivalente levando em consideração a tensão média e um procedimento geral de cálculo e aprovação para dimensionamento a fadiga.